Exportar este item: EndNote BibTex

Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://tede.mackenzie.br/jspui/handle/tede/4861
Tipo do documento: Dissertação
Título: As relações sociais e o mercado de alimentos orgânicos da associação de agricultores da zona leste de São Paulo
Autor: Arabe, Giorgia Redwitz 
Primeiro orientador: Sambiase, Marta Fabiano
Primeiro membro da banca: Moori, Roberto Giro
Segundo membro da banca: Carneiro Junior, Erivaldo da Silva
Resumo: Há uma tendência de crescimento do setor de alimentos orgânicos, inclusive, devido à pandemia causada pelo Coronavírus, que direcionou a atenção da população ainda mais para a saúde, principalmente com as questões atreladas à segurança alimentar. Frente a este cenário, muitos consumidores passaram a fazer as suas compras pelos circuitos curtos de comercialização, caracterizados pela confiabilidade atrelada ao processo da produção até o consumo. Além do fato de esses circuitos desempenharem um papel importante no desenvolvimento social, ambiental e econômico “local”. Mesmo com a crescente valorização dos alimentos orgânicos, institucionalização e incentivos governamentais para a produção, comercialização e distribuição, existem desafios a serem superados pelos agentes da cadeia de valor de alimentos orgânicos. Com um ambiente caracterizado por pequenos agricultores familiares, alimentos de época, perecíveis e de baixo valor agregado, foram surgindo alternativas de distribuição direta. Trata-se da busca dos agricultores por uma melhor captação de valor. É o caso da configuração da cadeia de suprimentos baseada em valor, cujas relações são estabelecidas a partir de princípios compartilhados, e onde a lógica capitalista de maximização do lucro e recursos não é o principal motivador da cadeia. Esses princípios podem ser evidenciados por elementos como a confiança, lealdade e comprometimento que também são encontrados nas relações da Teoria da Troca Social, que foi utilizada neste estudo como lente teórica para o entendimento das relações entre os agentes da cadeia de valor de alimentos orgânicos da Associação dos Agricultores da Zona Leste – AAZL. Partindo do objetivo geral: identificar a relação entre as interações dos agentes da cadeia de alimentos orgânicos da AAZL e a dinâmica desse mercado sob a perspectiva da VBSC, foram conduzidas entrevistas com os agentes desta cadeia. Para a análise de dados, optou-se pela utilização de dois métodos de pesquisa qualitativa, um de análise de conteúdo e outro de redes sociais. A pesquisa examinou como as interações sociais influenciam o mercado de alimentos orgânicos da Associação de Agricultores da Zona Leste de São Paulo. Nessas relações discutiram-se entraves, benefícios e desafios para a existência e evolução do mercado de alimentos orgânicos. O resultado desta pesquisa mostra que entre os agentes da cadeia de valor de alimentos orgânicos da AAZL existem relações favoráveis e não favoráveis no que tange a cooperação, reciprocidade, comprometimento e confiança. Além destas relações não seguirem a lógica do estímulo, resposta e reforço. Neste sentido, princípios compartilhados nas relações entre os agentes de alimentos orgânicos da AAZL podem contribuir com a expansão deste mercado em termos de oferta e variedade, destacando a necessidade de sinergia entre eles para que os ganhos sejam obtidos através das trocas sociais. Assim, é argumentado nesta pesquisa que para a expansão do mercado de alimentos orgânicos no município de São Paulo, ambiente foco deste estudo, é importante ir além da legislação e programas de apoio que institucionalizam a agroecologia e agricultura familiar, mesmo considerando importantes agentes deste mercado.
Abstract: There is a growing trend in the organic food sector, including, due to the pandemic caused by the Coronavirus, which directed the population's attention even more to health, especially with issues related to food safety. Faced with this scenario, many consumers started to make their purchases through short commercialization circuits, characterized by reliability linked to the process from production to consumption. In addition to the fact that these circuits play an important role in “local” social, environmental, and economic development. Even with the growing appreciation of organic food, institutionalization and government incentives for production, marketing and distribution, there are challenges to be overcome by agents in the organic food value chain. With an environment characterized by small family farmers, seasonal, perishable, and low added value foods, direct distribution alternatives emerged. It is about the search of farmers for a better capture of value. It is the case of the valuebased configuration of the supply chain, whose relationships are established based on shared principles, and where the capitalist logic of maximizing profit and resources is not the main driver of the chain. These principles can be evidenced by elements such as trust, loyalty and commitment that are also found in the relations of the Social Exchange Theory, that was used in this study as a theoretical lens for understanding the relationships between agents in the value chain of organic food from the East Zone Farmers Association – AAZL. Starting from the general objective: identify the relationship between the interactions of agents in the AAZL organic food chain and the dynamics of this market from the perspective of VBSC, interviews were conducted with the agents of the chain. For data analysis, we chose to use two qualitative research methods, one of content analysis and the other of social networks. The research examined how social interactions influence the organic food market of the Farmers Association of the East Zone of São Paulo. In these relationships, barriers, benefits and challenges for the existence and evolution of the organic food market were discussed. The result of this research shows that among the agents in the AAZL organic food value chain there are favorable and unfavorable relationships, in terms of cooperation, reciprocity, commitment and trust. In addition, these relationships do not follow the logic of stimulus, response, and reinforcement. In this sense, shared principles in the relationships between AAZL's organic food agents can contribute to the expansion of this market in terms of supply and variety, highlighting the need for synergy between them so that gains are obtained through social exchanges. Thus, is argued in this research that for the expansion of the organic food market in the city of São Paulo, the focus of this study, it is important to go beyond legislation and support programs that institutionalize agroecology and family farming, even considering important agents of this Marketplace.
Palavras-chave: alimentos orgânicos
teoria das trocas sociais
cadeia de suprimentos baseada em valor
Área(s) do CNPq: Administração de empresas
Idioma: por
País: Brasil
Instituição: Universidade Presbiteriana Mackenzie
Sigla da instituição: UPM
Departamento: Centro de Ciências Sociais e Aplicadas (CCSA)
Programa: Administração de Empresas
Agencia(s) de fomento: Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior
Fundo Mackenzie de Pesquisa
Citação: ARABE, Giorgia Redwitz. As relações sociais e o mercado de alimentos orgânicos da associação de agricultores da zona leste de São Paulo. 2021. 157 f. Dissertação (Mestrado em Administração de Empresas) - Universidade Presbiteriana Mackenzie, São Paulo. 2021.
Tipo de acesso: Acesso Aberto
URI: http://tede.mackenzie.br/jspui/handle/tede/4861
Data de defesa: 12-Ago-2021
Aparece nas coleções:Mestrado - Administração de Empresas

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
GIORGIA REDWTIZ ARABE.pdfGIORGIA REDWTIZ ARABE1.92 MBAdobe PDFBaixar/Abrir Pré-Visualizar


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.