Exportar este item: EndNote BibTex

Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://tede.mackenzie.br/jspui/handle/tede/4073
Tipo do documento: Dissertação
Título: A probabilidade de falência é consistente com a teoria de trade-off?
Autor: Nakasato, Renato Hideki 
Primeiro orientador: Hadad Junior, Eli
Primeiro membro da banca: Nakamura, Wilson Toshiro
Segundo membro da banca: Simoni, Edison de
Resumo: Diante do dinamismo do mundo hodierno, a academia procura identificar uma estrutura de capital ótima das empresas para mitigar a probabilidade de falência e maximizar sua lucratividade. Contudo, a realidade do mercado prescinde de teorias que expliquem a definição das fontes e proporções ideais dessa estrutura ótima de capital, via combinação de capitais próprios e de terceiros. Entre essas teorias, destaca-se a de trade-off estático que afirma que existe uma estrutura de capital ótima a ser perseguida pela empresa. O modelo procura obter equilíbrio entre alavancagem financeira e performance econômica. Empresas almejam uma combinação harmônica entre riscos e custos de falência e benefícios fiscais provenientes do endividamento. Assim, esse estudo tem por objetivo verificar se a teoria de trade-off estático é consistente para as companhias brasileiras que possuem rating de crédito. As hipóteses testadas são: H1: Quanto maior o benefício tributário, maior o nível de endividamento e probabilidade de falência e H2: Quanto menor o custo de falência, maior o nível de endividamento e probabilidade de falência. A verificação dessas hipóteses se dá por meio de estatística descritiva, análise de correlação, regressões logísticas (rating de crédito) e com dados em painel (alavancagem). A amostra final da pesquisa considera 60 companhias brasileiras não financeiras que possuem rating de crédito entre 2010 e 2017. A fonte de dados para identificação dos ratings é a Bloomberg, enquanto as demais variáveis são obtidas a partir da Capital IQ. Como resultado, as variáveis: tamanho, alavancagem e riscos operacionais comprovam a hipótese dessa pesquisa, que sugere que empresas com maior potencial de ganhos decorrentes de benefícios fiscais e menor custo de falência optem por uma estrutura de capital com maior probabilidade de falência. Este estudo contribui com a evolução dos testes da TOT estática no Brasil, comparando os coeficientes dos determinantes da probabilidade de falência com os do nível de endividamento das empresas. Outro diferencial encontrado é o fato de que o nível de endividamento é considerado um parâmetro endógeno, que permite a empresa atingir uma determinada probabilidade de falência ou estabelecer sua nota de rating.
Abstract: Faced with the dynamism of the modern world, the academy seeks to identify an optimal capital structure to mitigate the probability of bankruptcy and maximize its profitability. However, the reality of the market dispenses with theories that explain the definition of the sources and ideal proportions of this optimal capital structure, through a combination of equity and third parties. Among these theories, we highlight the one of static trade-off that affirms that there is an optimal capital structure to be pursued by the company. The model seeks to achieve a balance between financial leverage and economic performance. Companies seek a harmonious combination of risk and bankruptcy costs and tax benefits arising from indebtedness. Thus, this study aims to verify if the theory of static trade-off is consistent for Brazilian companies that have credit rating. The hypotheses tested are: H1: The higher the tax benefit, the higher the level of indebtedness and probability of bankruptcy and H2: The lower the cost of bankruptcy, the higher the level of indebtedness and probability of bankruptcy. The verification of these hypotheses occurs through descriptive statistics, correlation analysis and logistic regressions (credit rating) and panel data (leverage). The survey sample considers 60 Brazilian non-financial companies that have credit ratings between 2010 and 2017. The data source for identifying the ratings is Bloomberg, while the other variables are obtained from Capital IQ. As a result, the variables: size, leverage and operational risks confirm the hypothesis of this research, which suggests that companies with greater earnings potential due to tax benefits and lower cost of bankruptcy opt for a capital structure with a higher probability of bankruptcy. This study contributes to the evolution of the static TOT tests in Brazil, comparing the coefficients of the determinants of probability of bankruptcy with those of the companies' level of indebtedness. Another difference found is the fact that the level of indebtedness is considered an endogenous parameter, which allows the company to reach a certain probability of bankruptcy or establish its rating.
Palavras-chave: probabilidade de falência
trade-off estático
endividamento
rating de crédito
regressão logística e com dados em painel
Área(s) do CNPq: CNPQ::CIENCIAS SOCIAIS APLICADAS::ADMINISTRACAO::ADMINISTRACAO DE EMPRESAS
Idioma: por
País: Brasil
Instituição: Universidade Presbiteriana Mackenzie
Sigla da instituição: UPM
Departamento: Centro de Ciências Sociais e Aplicadas (CCSA)
Programa: Administração de Empresas
Citação: NAKASATO, Renato Hideki. A probabilidade de falência é consistente com a teoria de trade-off?. 2019. 55 f. Dissertação (Mestrado em Administração de Empresas) - Universidade Presbiteriana Mackenzie, São Paulo, 2019.
Tipo de acesso: Acesso Aberto
Endereço da licença: http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0/
URI: http://tede.mackenzie.br/jspui/handle/tede/4073
Data de defesa: 13-Ago-2019
Aparece nas coleções:Mestrado - Administração de Empresas

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
RENATO HIDEKI NAKASATO.pdfRENATO HIDEKI NAKASATO1.15 MBAdobe PDFThumbnail

Baixar/Abrir Pré-Visualizar


Este item está licenciada sob uma Licença Creative Commons Creative Commons