Exportar este item: EndNote BibTex

Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://tede.mackenzie.br/jspui/handle/tede/3647
Tipo do documento: Dissertação
Título: Efeito da indução de humor no desempenho em teste de inteligência fluida: estratégias cognitivas e padrões de movimentos oculares
Autor: Laurence, Paulo Guirro 
Primeiro orientador: Macedo, Elizeu Coutinho de
Primeiro membro da banca: Boggio, Paulo Sérgio
Segundo membro da banca: Serpa, Alexandre Luiz de Oliveira
Resumo: Tarefas de indução de humor e de estados emocionais são usadas para verificar o efeito das emoções no desempenho cognitivo. Assim, as emoções modulam diversas habilidades cognitivas, tais como a atenção, a memória de trabalho e tomada de decisão. Embora tais habilidades estejam relacionadas com inteligência fluida, são raros os estudos que analisam os efeitos de emoções de valência positivas ou negativas nesse tipo de inteligência. O estudo teve por objetivo analisar os efeitos da indução de humor com valência positiva ou negativa no desempenho em teste de inteligência fluida. Participaram 161 jovens e adultos (100 mulheres) divididos em três grupos: indução de humor com valência negativa, indução de humor com valência positiva e indução de valência emocional neutra. Inicialmente foram aplicados instrumentos para avaliação de ansiedade, depressão, competência emocional, inteligência, humor e cortisol salivar. Em seguida, os participantes assistiam um vídeo de indução emocional específico ao seu grupo experimental e respondiam a escala de humor novamente. Após isso, realizavam em um computador com equipamento de registro de movimentos oculares outro teste de inteligência (WMT-2), composto por itens criados em função de três tipos de raciocínio lógico. A fim de verificar o efeito dos vídeos de indução de humor, uma segunda coleta do cortisol salivar foi feita 30 minutos após o final do vídeo, em uma parte da amostra. Resultados mostram que os 3 grupos não diferiram em relação ao nível de ansiedade, depressão, competência emocional, inteligência e humor no início do procedimento. No entanto, após a indução, o grupo de indução negativa apresentou maiores níveis de ansiedade e menores de motivação. Não foram observadas diferenças significativas entre os três grupos na porcentagem de acertos dos itens e tempo para realização do teste de inteligência. No entanto, a pontuação de eficiência inversa, avaliado pelo tempo de realização do teste dividido pela porcentagem de acertos, foi melhor para os grupos de indução positiva e negativa do que o grupo neutro em um dos tipos de raciocínio lógico. Análise do registro dos movimentos oculares indicam diferenças entre o grupo de indução positiva com o grupo neutro no padrão de exploração visual das pranchas do teste. Mulheres do grupo de indução positiva apresentaram mais acertos e melhor índice de eficiência que as mulheres dos outros dois grupos para um tipo de raciocínio lógico. Além disso, as mulheres do grupo de indução negativa também apresentaram melhor índice de eficiência que o grupo neutro nesse tipo de raciocínio lógico. O grupo de mulheres da indução neutra teve desempenho pior que as mulheres dos outros dois grupos na exploração visual das pranchas do teste. Dessa forma, o procedimento de indução de humor de valência positiva influenciou a eficiência na resolução de um tipo de raciocínio lógico, bem como na exploração visual das pranchas do teste. Por fim, foram encontradas correlações negativas entre os níveis de cortisol salivar após a indução de humor com o tempo médio na realização do WMT-2, com a competência emocional e com a pontuação de eficiência inversa para um dos tipos de raciocínio lógico.
Abstract: Mood induction and emotional states tasks are used to verify the effect of emotions on cognitive performance. Thus, emotions modulate various cognitive abilities, such as attention, working memory and decision making. Although such skills are related to fluid intelligence, studies analyzing the effects of positive or negative valence emotions on this type of intelligence are rare. The aim of the study was to analyze the effects of mood induction with positive or negative valence on fluid intelligence performance. 161 young and adults (100 women) were divided into three groups: mood induction with negative valence, mood induction with positive valence and induction of neutral emotional valence. Initially instruments were applied to assess anxiety, depression, emotional competence, intelligence, mood and salivary cortisol. Participants then watched a video of specific emotional induction related to their experimental group and responded to the mood scale again. After that, they performed on a computer with eye movement recording equipment another intelligence test (WMT-2) composed of items created according to three types of logical reasoning. In order to verify the effect of mood induction videos, a second collection of salivary cortisol was done 30 minutes after the end of the video in a part of the sample. Results show that the 3 groups did not differ in relation to the level of anxiety, depression, emotional competence, intelligence and humor at the beginning of the procedure. However, after induction, the negative induction group had higher levels of anxiety and lower motivation. No significant differences were observed between the three groups in the percentage of items' correctness and time to perform the intelligence test. However, the reverse efficiency index, evaluated by the time of the test divided by the percentage of correct answers, was better for the positive and negative induction groups than the neutral group in one of the types of rule tokens. Analysis of the ocular movement register indicates differences between the positive induction group and the neutral group in the visual exploration pattern of the test boards. Women in the positive induction group presented more correct answers and a better efficiency index than the women in the other two groups for a logical reasoning. In addition, women in the negative induction group also had a better efficiency index than the neutral group in this type of logical reasoning. The neutral induction women group performed worse than the other two female groups in the visual exploration pattern of the test boards. Thus, the positive valence humor induction procedure influenced the efficiency in solving a type of logical reasoning, as well as in the visual exploration of the test boards. Lastly, negative correlations were found between salivary cortisol levels after the induction of mood with the mean time in WMT-2, with emotional competence and with the inverted efficiency index for one of the types of logical reasoning
Palavras-chave: emoções
estresse psicológico
movimentos oculares
bem-estar
Área(s) do CNPq: CNPQ::CIENCIAS HUMANAS::PSICOLOGIA::PSICOLOGIA COGNITIVA
Idioma: por
País: Brasil
Instituição: Universidade Presbiteriana Mackenzie
Sigla da instituição: UPM
Departamento: Centro de Ciências Biológicas e da Saúde (CCBS)
Programa: Distúrbios do Desenvolvimento
Citação: LAURENCE, Paulo Guirro. Efeito da indução de humor no desempenho em teste de inteligência fluida: estratégias cognitivas e padrões de movimentos oculares. 2018. 76 p. Dissertação (Distúrbios do Desenvolvimento) - Universidade Presbiteriana Mackenzie, São Paulo.
Tipo de acesso: Acesso Aberto
URI: http://tede.mackenzie.br/jspui/handle/tede/3647
Data de defesa: 24-Mai-2018
Aparece nas coleções:Mestrado - Distúrbios do Desenvolvimento

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
Paulo Guirro Laurence.pdfPaulo Guirro Laurence2.96 MBAdobe PDFThumbnail

Baixar/Abrir Pré-Visualizar


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.