Exportar este item: EndNote BibTex

Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://tede.mackenzie.br/jspui/handle/tede/3294
Tipo do documento: Tese
Título: Acordos de cooperação e inovação: um estudo de micro, pequena e média empresas em arranjo produtivo local (APL)
Autor: Gomes, José Gilson de Lucena 
Primeiro orientador: Zilber, Moisés Ari
Primeiro membro da banca: Bido, Diógenes de Souza
Segundo membro da banca: Porto, Geciane Silveira
Terceiro membro da banca: Perez, Gilberto
Quarto membro da banca: Hourneaux Junior, Flavio
Resumo: Com a crescente globalização dos mercados, o aumento da concorrência, a velocidade e a complexidade das mudanças tecnológicas, as empresas estão sendo conduzidas para uma abertura das suas fronteiras, passando, assim, de uma forma tradicionalmente estática e de mutação lenta para uma concepção mais dinâmica e adaptável. Das muitas estratégias que uma empresa pode utilizar para se manter competitiva em meio a tantas transformações no mundo atual, a cooperação é vista como uma, entre tantas outras que pode conduzir uma empresa ao sucesso. Na literatura, encontram-se para o mesmo tipo de cooperação, diferentes significados. É o caso das parcerias, alianças estratégicas, acordos, contratos, entre outras. E apesar de haver um consenso emergente sobre a cooperação ser essencial para a inovação, na literatura ela é ainda inconclusiva, principalmente para empresas de pequeno porte. Portanto, o presente estudo se propôs a identificar as diversas formas de cooperação nas micro, pequenas e médias empresas de calçados localizadas em APL’s (Arranjos Produtivos Locais) e verificar se de fato elas contribuem para a inovação. Para tanto, utilizou-se dos métodos qualitativo e quantitativo de pesquisa. Para a pesquisa qualitativa foram realizadas entrevistas semiestruturadas com empresários e representantes do setor de calçados no APL de Campina Grande – PB, analisadas conforme técnicas defendidas por Bardin. Os resultados mostraram que no APL pesquisado as empresas têm um nível de interação, de cooperação e articulação baixo apesar da forte contribuição que as empresas recebem do terceiro setor, como SEBRAE e SENAI. Ainda assim, constatou-se que a inovação se faz presente em decorrência de algumas formas de cooperação. Para a pesquisa quantitativa, foi realizada uma survey, com os dados de 50 empresas, sendo 28 do APL de Campina Grande e 22 de APL’s de outras regiões, objetivando testar um modelo relacionando os construtos Acordos de Cooperação com a Inovação. Para a análise dos dados, foram aplicadas técnicas de estatísticas univariadas e técnicas multivariadas através de modelagem de equações estruturais (Structural equation modeling –SEM), pelo método Partial Least Squares (PLS). Os resultados evidenciaram que a medida de inovação utilizada não teve influência direta dos acordos de cooperação. Porém, constatou-se que os acordos de cooperação podem contribuir para as práticas inovadoras.
Abstract: With the increasing globalization of markets, increased competition, speed and complexity of technological change, companies are being led to open their borders, moving from a traditionally static and slow-moving to a more Dynamic and adaptable. Of the many strategies a company can use to stay competitive in the midst of so many transformations in today's world, cooperation is seen as one among many that can drive a company to success. In the literature, different meanings are found for the same type of cooperation. This is the case of partnerships, strategic alliances, agreements, contracts, among others. And although there is an emerging consensus on cooperation being essential for innovation, in literature it is still inconclusive, especially for small businesses. Therefore, the present study aimed to identify the different forms of cooperation in micro, small and medium-sized footwear companies located in APLS (Local Productive Arrangements) and to verify if they actually contribute to innovation. For that, qualitative and quantitative research methods were used. For the qualitative research, semi - structured interviews with entrepreneurs and representatives of the footwear sector were carried out in Campina Grande, PB, analyzed according to the techniques defended by Bardin. The results showed that in the APL surveyed companies have a low level of interaction, cooperation and coordination despite the strong contribution that companies receive from the third sector such as SEBRAE and SENAI. Nevertheless, it has been observed that innovation is present due to some forms of cooperation. For the quantitative research, a survey was carried out, with data from 50 companies, 28 of APL of Campina Grande and 22 of APLs from other regions, aiming to test a model relating the constructs Agreements of Cooperation with Innovation. For the data analysis, univariate statistical techniques and multivariate techniques were applied through Structural equation modeling (SEM) using the Partil Least Square (PLS) method. The results showed that the innovation measure used had no direct influence on the cooperation agreements. However, it was found that cooperation agreements can contribute to innovation.
Palavras-chave: acordos de cooperação
inovação em APL
práticas inovadoras
pequenas empresas
Área(s) do CNPq: CNPQ::CIENCIAS SOCIAIS APLICADAS::ADMINISTRACAO::ADMINISTRACAO DE EMPRESAS
Idioma: por
País: Brasil
Instituição: Universidade Presbiteriana Mackenzie
Sigla da instituição: UPM
Departamento: Centro de Ciências Sociais e Aplicadas (CCSA)
Programa: Administração de Empresas
Citação: GOMES, José Gilson de Lucena. Acordos de cooperação e inovação: um estudo de micro, pequena e média empresas em arranjo produtivo local (APL). 2017. 167 f. Tese (Administração de Empresas) - Universidade Presbiteriana Mackenzie, São Paulo.
Tipo de acesso: Acesso Aberto
Endereço da licença: http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0/
URI: http://tede.mackenzie.br/jspui/handle/tede/3294
Data de defesa: 17-Mar-2017
Aparece nas coleções:Doutorado - Administração de Empresas

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
JOSÉ GILSON DE LUCENA GOMES.pdfJOSÉ GILSON DE LUCENA GOMES3.08 MBAdobe PDFThumbnail

Baixar/Abrir Pré-Visualizar


Este item está licenciada sob uma Licença Creative Commons Creative Commons